Procedimentos estéticos

Você sabe a importância de saber prescrever a Criolipólise?

Saber aplicar a avaliação de Criolipólise da forma correta e a quantidade de sessões para cada caso, é fundamental para o sucesso do tratamento.
A criolipólise não é um tratamento para sobrepeso e obesidade.

Ela é uma opção eficaz para indivíduos que tenham gordura localizada em algumas regiões do corpo, chamadas de famoso “pneuzinho”. Quer saber como fazer ? Prossiga com a leitura.

7 Passos que devem ser feitos na avaliação de Criolipólise:

dicas para a avaliação de criolipólise1- Avaliação de criolipólise somente com profissional da área. Passo fundamental para identificar o tipo de gordura que o paciente apresenta.

2- Conhecer o Índice de Massa Corporal (IMC= peso/altura2) do paciente é fundamental. Observação: esta fórmula não é válida para sujeitos que praticam musculação e que apresentam hipertrofia muscular, pois esse cálculo não inclui o peso de massa extra.

3- A gordura localizada deve ser maleável, permitindo apalpá-la e puxá-la com as mãos. Observa-se que quanto mais flexível for, maior será a área sugada pela ponteira do aparelho de criolipólise, e portanto, melhor será o resultado. Observação: em alguns casos, apesar do paciente apresentar gordura localizada, após avaliação o profissional não recomenda o tratamento de criolipólise ao verificar que a região é de difícil manipulação.

4- Gordura visceral. Este tipo de gordura não é subcutânea e sim intra-abdominal, ou seja: está localizada atrás dos músculos do abdômen e entre os órgãos. É um tipo de gordura profunda que deixa a barriga com um aspecto duro e difícil de apalpar. Assim, para este tipo de gordura a criolipólise não é indicada.

5- Magros ou falsos magros. Pessoas que são magras e que apresentam gorduras localizadas em alguma parte do corpo, a criolipólise é indicada.

6- Pessoas levemente a cima do peso que apresentam distribuição de gordura uniforme, porém, estão insatisfeitas com alguma região específica, podem fazer esse tratamento.

7- Para pessoas obesas, esse tratamento não é indicado.

10 Dicas de preparação e avaliação de Criolipólise

dicas para a avaliação de criolipólise1- Após avaliação de Criolipólise, realizar medições do paciente para comprovação de resultados. (Medidas da circunferência, peso, adipômetro, foto e etc)

2- O especialista deve demarcar a região em que o paciente quer perder gordura localizada. Essa demarcação ajudará a ajustar o aparelho de criolipólise no exato local indicado.

3- O especialista escolherá o aplicador de acordo com o tamanho do local e curvatura apropriada. Existem variados tamanhos de ponteiras, adequados para cada região do corpo. No abdômen, por exemplo, é utilizado uma ponteira grande, nos flancos uma média e na papada uma pequena.

4- Higienizar a área tratada com álcool 70%.

5- Proteja a região com manta protetora.

6- Programe a máquina.

7- Com o correto posicionamento da ponteira, o especialista ligará a máquina e a partir disso a mesma começará a sugar a região acoplada, formando um vácuo. Após a sucção, o comando de resfriamento deverá ser acionado, e então, a ponteira começará resfriar a região sugada.

8- Após retirada da ponteira deve-se massagear a região tratada. É normal que a vermelhidão persista por um tempo.

9- Não é necessário anestesia.

10- Reavaliação deve ser feita em 30, 60 e 90 dias.

Recuperação pós criolipólise

• Não há restrições de atividade após fazer criolipólise.
• Uma sensação dolorida na área tratada, pode ser observada.
• Raramente os pacientes sentem dor.

4 Dicas para potencializar o resultado da Criolipólise em seu paciente

dicas para a avaliação de criolipólise1- Dieta balanceada. Informe seu paciente que aliar o período de tratamento à uma dieta balanceada faz toda diferença. Assim, além de reduzir a gordura trabalhada na sessão de criolipólise, o paciente estará contribuindo para a eliminação dos excessos de gordura e ainda evitando que acumule mais gordura nas regiões que não são atingidas pela sessão.

2- Atividade física. Muitos benefícios são observados durante a prática de atividade física, dentre eles, a aceleração do metabolismo, essencial para a eliminação da gordura trabalhada na sessão de criolipólise. O exercício físico além de proporcionar bem estar, ele ajuda na eliminação de toxinas que impedem o organismo de funcionar adequadamente. Vale lembrar também que quando associa-se a prática de atividade física à musculação o resultado é ainda mais eficaz. A partir da hipertrofia da musculatura é possível definir as curvas do corpo e evitar flacidez.

3- Hidratação: Ingerir 2 litros de água ao dia é muito importante. Além da água ser fundamental para diversas funções no organismo humano, ela faz com que o sistema linfático elimine a gordura trabalhada durante a sessão.

4- Drenagem linfática: Técnica eficiente para eliminar retenção de líquido, toxinas acumuladas e melhora a circulação linfática. A função dessa técnica após a criolipólise é ajudar a gordura “morta” a ser fagocitada, a partir da melhora da circulação local. É importante avaliar o período que o paciente pode fazer a drenagem, bem como, quantos dias após a sessão de resfriamento.

Contraindicações da criolipólise

• Sobrepeso, obesidade;
• Cirurgias há menos de 6 meses;
• Infecções;
• Prega cutânea menor do que 2 cm (medidos pelo adipômetro);
• Urticária;
• Doenças metabólicas descompensadas, como dislipidemia, síndrome metabólica;
• Diabetes descontrolada;
• Pessoas com hérnia no local a ser tratado;
• Pessoas que tem implantes metálicos;
• Doenças cardíacas;
• Gestantes;
• Neuropatias periféricas;
• Alta sensibilidade ao frio;
• Crioglobulinemia (doença relacionada ao frio);
• Doenças que causam alterações dos fatores de coagulação, como hemofilia, trombocitopenia, deficiência do Fator V de Leiden, entre outros;

O segredo para o sucesso da Criolipólise em seu consultório, está associado com a qualificação e experiência do profissional, escolha do equipamento e da manta térmica com registro na ANVISA. E claro, uma avaliação eficaz e indicação correta do tratamento.

Veja também um artigo sobre estratégias para avaliar a pele de seu paciente.