Sem categoria

Para entender melhor como o metabolismo e gasto de energia trabalham juntos,  vamos explicar a combinação dos seguintes processos:

  • TEF – Efeito térmico dos alimentos;
  • NEAT – Termogênese de atividades sem exercício;
  • BMR – Taxa metabólica basal;
  • TEA – Efeito térmico da atividade física (TEE);

Metabolismo e gasto de energia: taxa metabólica basal (BMR)

O organismo humano necessita de energia para todas as funções automáticas, como respiração, circulação sanguínea, ajuste dos níveis de hormônios, crescimento e reparo das células.

A quantidade de calorias que o corpo humano queima em repouso é chamado de taxa metabólica basal (BMR). A BMR fica encarregada de queimar até 70% das calorias que do ser humano diariamente.

O que pode interferir na BMR?

metabolismo e gasto de energia

  • Idade: a medida que envelhecemos há uma perda de massa muscular. A redução dessa massa muscular demanda menos calorias. Porém, a prática de atividade física e alimentação saudável pode retardadr esse processo.
  • Gênero: os homens são privilegiados em ter uma taxa metabólica basal mais elevada do que as mulheres. Pois, eles tendem a ter uma maior porcentagem de massa muscular versus gordura corporal.
  • Tamanho e composição: indivíduos mais altos ou maiores queimam mais calorias do que sujeitos de menor estatura.
  • Composição muscular: em respouso, estudos mostram que o tecido muscular queima mais calorias do que o tecido adiposo. Para se ter ideia sujeitos com 10 quilos de músculos podem queimar 50 calorias em um dia, enquanto 10 quilos de gordura queimam apenas 20 calorias.
  • Histórico de dieta: dietas muito restritivas não são uma boa escolha e podem acabar interferindo no metabolismo. Além da falta de nutrientes esse tipo de dieta pode aumentar as chances de ganho de peso com “efeito rebote”.

Metabolismo e gasto de energia: efeito térmico dos alimentos (TEF)

O efeito térmico dos alimentos ou termogênese induzida pela dieta é a energia gasta para digerir e absorver o alimento.

metabolismo e gasto de energiaO efeito térmico pode variar de acordo com a composição da dieta. Por exemplo: a cafeína é uma substancia que pode modificar o efeito de TEF.

As proteínas são os nutrientes que apresentam maior efeito térmico, seguido de carboidrato e por último a gordura.

As dietas que compõem uma ingesta balanceada de proteínas, carboidratos e gordura resulta em um gasto energético diário de 5-15%.

Termogênese de atividades sem exercício (NEAT)

metabolismo e gasto de energia

Este tipo de gasto de energia é aquela que está relacionada ao gasto energético para atividades não associados ao exercício, incluindo o trabalho, brincadeiras, jogos ou uma noite de dança. Também inclui pequenos movimentos como digitação, inquietação e tremor nas pernas. Isso é responsável por 10 a 50% do seu gasto energético total.

Metabolismo e gasto de energia: efeito térmico da atividade física (TEA)

Este efeito está relacionado ao quanto é gasto com a prática de atividade física. Pode ser baixo, apenas 10% em indivíduos sedentários, e alto como 100% em atletas olímpicos. O efeito térmico da atividade física é calculado com base em quão ativo o sujeito é em sua vida diária e também na quantidade de exercício que ele pratica.

https://www.minhavida.com.br/alimentacao/tudo-sobre/13546-metabolismo

Concluímos então que o metabolismo e gasto de energia é muito variável, e deve estar associado a diversos fatores. Analisar e interpretar com cautela a situação de cada paciente, irá beneficiar e muito no resultado final do tratamento! Esperamos que tenha gostado do artigo.

Leia também um artigo sobre qual é a melhor estratégia para vender tratamentos estéticos.