Sem categoria

Para diferenciar os cosméticos orgânicos, naturais e veganos na estética, e facilitar para os profissionais da saúde, os produtos com selos como, o EcoCert (França), Instituto Biodinâmico – IBD (Brasil) e USDA Organic (Estados Unidos), dão maior confiabilidade aos cosméticos e regulamentam as matérias-primas usadas.

cosméticos orgânicos, naturais e veganos na estética

Estes órgãos estabelecem a normas a serem seguidas e auxiliam na diferenciação dos produtos naturais de produtos orgânicos

Os cosméticos convencionais são regulamentados pela Agencia Nacional de Vigilância sanitária (ANVISA) e não apresentam certificação ambiental. Eles contém ativos sintéticos, derivados do petróleo (silicones e óleos minerais), geneticamente modificados e podem ter sido testados em animais (apesar dessa prática ter sido reduzida nos últimos anos).

Abaixo separamos os principais critérios para você saber classificar os cosméticos orgânicos, naturais e veganos na estética.

Cosméticos naturais

Para um cosmético ser considerado como natural ele não deve conter substancias químicas em sua composição.

De acordo com os órgãos IBD e EcoCert os produtos naturais devem conter matérias-primas naturais e determinadas substâncias são totalmente proibidas, como:

– corantes, fragrâncias e/ou conservantes sintéticos;

– ativos geneticamente modificados;

– produtos testados em animais;

– derivados do propileno;

– amônia, silicone e dietanolaminas;

– derivados do petróleo.

O órgão IBD, empresa brasileira que atua promovendo o equilíbrio entre a atividade econômica e a preservação da natureza, estabelece que um cosmético natural deve apresentar de 5% a 70% de ingredientes orgânicos.

Já a EcoCert, empresa que atua em mais de 50 países é mais restrita. Os cosméticos naturais podem ter no mínimo 95% do conteúdo total de matérias-primas naturais. O restante (5%) pode ser substâncias sintéticas que não estão inseridas nas matérias-primas proibidas para cosméticos naturais.

cosméticos orgânicos, naturais e veganos na estéticaFique atento aos produtos que anunciam em sua embalagem “cosmético natural”. Esses produtos podem conter em sua formulação matérias-primas proibidas na lista acima e são considerados como um cosmético a base de produtos naturais e não produto natural ou orgânico.

Cosméticos orgânicos

Os cosméticos orgânicos não possuem matéria-prima sintética em sua formulação e são livres de agrotóxicos.

A cultura orgânica vem sendo muito difunda atualmente, pois agride menos a natureza ao longo da cadeia produtiva, são mais suaves que os ativos da indústria e valorizam a vida das comunidades envolvidas na produção.

Para a IBD os cosméticos orgânicos devem possuir no mínimo, 95% de matérias-primas certificadas como orgânicas. Os 5% restantes podem ser compostos por água e por outras matérias-primas naturais

Especificações

EcoCert
Naturais: possuem um mínimo de 5% de ingredientes orgânicos;
Naturais e orgânicos: devem ter um mínimo de 95% de ingredientes naturais ou de origem vegetal e ao menos 10% de ingredientes certificados orgânicos.

 IBD (não considera sal e água como ingredientes):

cosméticos orgânicos, naturais e veganos na estética

Orgânicos: devem ter pelo menos 95% de orgânicos;
Feitos com ingredientes ou matérias-primas orgânicas: são obrigados a ter ao menos 70% de orgânicos;

Naturais: têm, no máximo, 5% de orgânicos.

Cosméticos Veganos

Produtos desenvolvidos a partir da exclusão de todas as formas de exploração e crueldade com os animais. E cada vez mais estão sendo utilizados tanto pelo público final, como também por profissionais.

Gostou de entender mais sobre cosméticos orgânicos, naturais e veganos na estética? Deixe um comentário e conte sua linha preferida de cosmético para trabalhar!

Leia também um artigo sobre tricologia na estética.